Uma das funções da gengiva é recobrir parcialmente os dentes, evitando que suas regiões mais sensíveis fiquem expostas ao meio externo. Por isso, ela precisa ter uma altura ideal em sua borda, mas alguns problemas, como a retração da gengiva, podem fazer com que ela fique mais curta e, consequentemente, haja exposição da raiz dentária.

Esse quadro requer atenção não somente porque provoca sintomas incômodos, mas também pela tendência a agravar-se e deixar o dente mais suscetível ao ataque de bactérias.

Continue lendo para descobrir como é feito o tratamento para solucionar o caso e ainda veja o que pode provocar recessão da gengiva. Assim, poderá evitar os fatores que provocam agressões nesse tecido e afetam a sua saúde bucal.

A retração da gengiva e suas causas

A retração da gengiva é um problema muito comum que pode acontecer com qualquer pessoa. Caracteriza-se por uma redução da porção da gengiva que protege o dente. Quando isso acontece, a raiz dele fica exposta promovendo a impressão de que o dente está maior. No entanto, o impacto estético é somente uma das consequências.

Também surgem sintomas incômodos, principalmente a sensibilidade. Isso porque a raiz dentária é mais porosa do que o esmalte, então, quando ela perde a proteção da gengiva, sofre estímulos nervosos em função de choque térmico, por exemplo, pela ingestão de bebidas e alimentos gelados ou quentes ou até mesmo pela fricção da escova de dentes na região exposta.

Essa redução das margens da gengiva pode acontecer em somente um dente, afetar vários ou todos eles. Suas causas são muito variadas, incluindo:

  • escovação excessiva ou muito intensa;
  • periodontite;
  • mau posicionamento dos dentes;
  • tabagismo;
  • uso de piercings na boca;
  • alterações hormonais;
  • trauma oclusal;
  • bruxismo;
  • má oclusão;
  • idade avançada;
  • acúmulo de tártaro;
  • aparelhos ortodônticos ou próteses mal adaptadas.

Tratamentos para retração gengival

É importante saber que, uma vez a gengiva retraída, ela não volta para seu lugar sozinha. Na verdade, a tendência é de que diminua cada vez mais se os fatores que causaram o problema não forem eliminados.

Como eles são muito distintos, o tratamento varia em função da necessidade de cada paciente e das características do caso. A seguir, apresentamos algumas técnicas e métodos que ajudam a controlar ou reverter esse problema.

Uso de produtos adequados

Algumas pessoas acreditam que, quanto mais dura a cerda da escova, melhor será a limpeza que ela faz, mas não é bem assim. Não é preciso atrito excessivo para remover a placa bacteriana, pois ela se solta facilmente. Portanto, o tratamento para retração gengival inclui o uso de escovas de cerdas macias.

Pode ser preciso adotar, também, um creme dental específico para alívio da sensibilidade. Ele ajudará a minimizar os incômodos provocados pela exposição da raiz, formando uma camada de proteção sobre ela.

Mudanças nos hábitos

É importante prestar atenção no modo como é feita a escovação dos dentes, pois deve-se aplicar a técnica correta para que a gengiva não seja lesionada, lembrando também de fazer os movimentos corretos de maneira delicada e suave. Além disso, o tabagismo deve ser evitado.

Tartarectomia

Popularmente conhecida como raspagem, essa técnica é aplicada com o intuito de remover o tártaro entre os dentes e da região subgengival. Faz parte do conjunto de ações realizadas nas consultas de rotina com o dentista, mas também é uma medida terapêutica para casos de periodontite.

Aplicação de resina

A aplicação de resina não trata especificamente a retração da gengiva, mas ajuda a proteger a parte do dente que está exposta, minimizando a sensibilidade. Consiste em formar uma camada de proteção com esse material para que ele cumpra a função do tecido gengival.

Gengivoplastia

Essa técnica é uma cirurgia plástica feita na gengiva que tem por finalidade modelar suas margens ou fazer enxertos, por isso, é um tratamento para reverter a retração gengival. O dentista coleta um pequeno pedaço de tecido do próprio paciente e o fixa onde há falta de gengiva. Ali, ele se incorpora e protege a raiz dentária.

Há casos de retração da gengiva em que é necessário tratar os desalinhamentos dentários, as alterações na mordida, o bruxismo e fazer adequações nos aparelhos ortodônticos e próteses. De toda forma, é fundamental fazer a higiene do jeito certo e passar por consultas regulares com o dentista, para evitar que os problemas bucais desencadeiem essa condição.

Agora que você aprendeu a cuidar bem da sua gengiva, compartilhe este artigo em suas redes sociais para que seus amigos aprendam também!

Leia também: Gengiva inflamada: principais sintomas, tratamento e como resolver.


Deixe uma resposta


Leia Também

Clareamento ou lente de contato: qual é a melhor opção?

Você está na dúvida entre o clareamento ou lente de contato dental? Leia o artigo e saiba quando é indicado cada um desses tratamentos.

Mancha no dente pode ser Cárie? Saiba identificar

Mancha no dente pode ser cárie? Manchas escuras podem significar desde pequenos problemas até problemas mais graves. Leia mais!

Como usar Fio Dental corretamente? Dentista explica o passo a passo

O fio dental é um recurso de limpeza dos dentes essencial ao processo de higiene bucal, mas muita gente negligencia o seu uso. Saiba mais!

Diferenciais

Sala de Repouso

Descanso pós-cirúrgico com acompanhamento do especialista.

Sala Cirúrgica para Sedação

Centro Cirúrgico Completo e habilitado para sedação inalatória, medicamentosa e endovenosa.

Brinquedoteca

Ambiente preparado para seu filho(a) enquanto você realiza seu tratamento.

Recepção Ampla

Recepção ampla com espaço para os adultos e crianças!

All in one

Oferecemos uma variedade de exames de radiologia sem a necessidade de deslocamento.

9 Consultórios

9 consultórios equipados com a melhor tecnologia e mais de 20 profissionais.

Radiologia Integrada

Todo o seu tratamento odontológico em um só lugar, desde a consulta ao exame radiológico.

Diferenciais